Quarta, 23 de outubro de 2019   -     23:44 |
5000onon

Witzel acaba com incentivo à diminuição de mortes cometidas por policiais no RJ

O governador Wilson Witzel determinou que o estado não mais gratifique policiais por redução de mortes em operações ou em confronto - os autos de resistência.

Um decreto publicado na edição desta terça-feira (24) no Diário Oficial do Estado altera outro, de 25 de junho de 2009, que estipulava o “gerenciamento de metas para os indicadores estratégicos de criminalidade” no RJ.

O decreto original incluía a diminuição das mortes cometidas por policiais em uma cesta de indicadores. Quem mais reduzisse as metas ganhava até R$ 3 mil por semestre.

Agora, a nova redação pôs, no lugar dos autos de resistência, o roubo de cargas.

A alteração foi determinada por Witzel no mesmo dia em que convocou uma coletiva para falar da morte da menina Ágatha - e na qual defendeu a sua política de segurança pública.

 Foto: Reprodução/TV Globo

Entenda o que mudou

Assinado pelo então governador Sérgio Cabral, o Decreto 41.931 determinava um conjunto de indicadores para reduzir:

Homicídio doloso;

Homicídio decorrente de oposição à intervenção policial - novo termo para auto de resistência;

Latrocínio - roubo seguido de morte;

Lesão corporal seguida de morte;

Roubo de veículos;

Roubos de rua, incluindo a transeuntes, em ônibus e de celulares.

A "Gratificação de Encargos Especiais", como o decreto estipulava, seria paga aos policiais - civis e militares - da região que mais reduzisse os indicadores, segundo uma média ponderada, a cada semestre. 

O Decreto 46.775, assinado nesta segunda (23), não menciona autos de resistência e fixa como indicadores:

Homicídio doloso;

Latrocínio;

Lesão corporal seguida de morte;

Roubos de veículos;

Roubos de rua (nas mesmas subcategorias);

Roubo de carga.

* Com informações do G1

Dê sua opinião: