Quinta, 22 de agosto de 2019   -     22:14 |
5000onon

Piauí é o estado mais seguro do Nordeste

 Foto: Reprodução

O Piauí é o estado mais seguro da entre os estados da região Nordeste. A informação é do Atlas da Violência 2019 divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), nesta segunda-feira (5). O números retratam os índices de homicídios nos estados e municípios brasileiros registrados no ano de 2017. O Piauí aparece como o estado do Nordeste menos violento e Teresina como a 15° entre as capitais brasileiras.

A média de homicídios por municípios do estado é de 11,4, uma das mais baixas do país. No Nordeste, o estado com maior taxa de homicídios estimada, em 2017, foi o Rio Grande do Norte, com 67,4 homicídios, seguido pelo Ceará com 64,0, Pernambuco com 62,3, Sergipe 58,9, Bahia com 55,3, Alagoas 53,9, Paraíba 33,9, Maranhão 31,9 e Piauí com 20,9. 

“Já esperávamos esse resultado devido ao nosso acompanhamento diário dos números feitos pela estatística da Segurança. Mas precisamos avançar ainda mais e para isso vamos usar como parâmetro os próprios números do Atlas”, afirmou o secretário de Segurança, Fábio Abreu 

A capital Teresina apresentou taxa de 39,4. Segundo o Atlas, em 2017 foram registrados 319 homicídios. O número é menor do que o apresentado em 2016, onde foram registrados 374 assassinatos, apresentando uma taxa de 45,5 para 100 mil habitantes. A campeã em homicídios é Fortaleza com a média de 87,9 assassinatos.

Parnaíba, segunda cidade mais populosa do Piauí, está entre os 120 municípios que acumulam 50% dos homicídios estimados em 2017, junto com Teresina. Parnaíba registrou 38 homicídios, em uma população de pouco mais de 150 mil habitantes. A taxa estimada é de 27,9.

Ainda de acordo com o secretário este é um resultado do trabalho de integração das instituições. “Ficamos felizes com os números que nos mostra que o nosso trabalho integrado entre as forças de segurança vem dando certo, além das ações que implementamos como o uso de novas tecnologias, estatísticas, mapas termais, uso de aplicativos e os recursos geridos de forma correta”, ressaltou.

* Com informações da Ascom SSP

Dê sua opinião: