Quarta, 23 de outubro de 2019   -     23:47 |
5000onon

Dudu crítica indícios de irregularidades na licitação do transporte de carga de Teresina

 Foto: Assessoria 

O vereador Dudu (PT) apresentou um requerimento no qual solicita a convocação do Secretário Municipal de Administração e Recursos humanos (SEMA), Raimundo Nonato, e do pregoeiro Alexandre Dumas, para dar explicações ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), Câmara Municipal de Teresina (CMT) e pessoas jurídicas que se sentiram prejudicadas pelo pregão eletrônico que definiu os responsáveis pelo transporte de carga no município.   

Dudu afirma que os processos licitatórios apresentam indícios de irregularidades. “A prefeitura de Teresina por meio do pregoeiro Alexandre Dumas está realizando uma licitação do transporte escolar no valor de R$ 11 milhões onde as regras divergem bastante de um outro pregão eletrônico realizado pelo mesmo pregoeiro. Neste já temos indícios de problemas com o transporte de cargas. Para se ter uma ideia do absurdo, para o transporte escolar estão flexibilizando e deixando que ônibus e micro-ônibus com 10 anos de uso realizem os serviços. Enquanto isso, para o transporte de carga está se exigindo van e carros com apenas dois anos de uso, ou seja, a preocupação da gestão municipal é com o transporte de objetos e não com a vida da população. Isso é lamentável, uma vez que a prioridade deve ser sempre a segurança das nossas crianças”, criticou o vereador Dudu.      

O documento apresentado pelo parlamento, acabou sendo rejeitado pela base do prefeito Firmino Filho na Casa legislativa. “Infelizmente a base do prefeito acabou rejeitando fornecer esses esclarecimentos e transparência na gestão. Isso só demonstra que temos algo muito nebuloso por traz disso tudo.  Agora vamos ao TCE-PI solicitar a análise de todas as licitações para que a gente possa, se tiver mesmo indícios de irregularidades, tomar as devidas providências. Tenho um relatório bastante extenso de mais 15 empresas que participaram desse pregão eletrônico, alegando que houve inclusive negociação de preços fora dos trâmites legais que devem ocorrer com a participação de todos os envolvidos”, afirmou o parlamentar. 

* Com informações da Ascom 

Dê sua opinião: