Quinta, 22 de agosto de 2019   -     22:12 |
5000onon

Polícia localiza carro usado por suspeito de atirar no estudante Gabriel Brenno

Policiais do 1º Distrito Policial localizaram o veículo utilizado pelo acusado de atirar na cabeça do estudante Gabriel Brenno Nogueira, de 21 anos, na manhã do último dia 17 de julho, em frente uma pensão, na Rua Paissandu, ao lado do Colégio Tamandaré, onde a vítima se preparava para um concurso.

Informações obtidas pelo GP1 nesta segunda-feira (22) dão conta que o carro modelo Chevrolet Onix, de cor cinza chumbo, foi alugado pelo acusado alguns dias antes do crime e entregue no dia seguinte, na tarde da última quinta-feira (18). O carro foi localizado pelos investigadores em uma locadora de veículos situada no bairro Aeroporto, na zona norte de Teresina. 

 Foto: Facebook/Gabriel Nogueira

Através do veículo, a polícia confirmou a identificação do acusado com sendo Deivid, de 34 anos. Os investigadores constataram que a pessoa que atirou em Gabriel Brenno foi a mesma que alugou e fez a devolução do veículo na locadora.

Polícia Civil tentou intimá-lo

Na manhã desta segunda-feira (22), os policiais retornaram até a residência do acusado, localizada no Parque Universitário, zona leste de Teresina, no entanto, não foi possível entregar a intimação a Deivid.

Inquérito deve ser concluído hoje

O delegado Sérgio Alencar está produzindo o relatório final do inquérito, que será concluído e deverá encaminhado à Justiça nesta terça-feira (23). O mandado de prisão solicitado pela autoridade policial ainda não foi expedido para que a Polícia Civil possa dar cumprimento, após a localização do acusado.

O crime

Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, de 21 anos, foi baleado na cabeça na manhã da última quarta-feira (17), por volta de 7h15, ao lado de um curso preparatório, na Rua Paissandu, no centro de Teresina. De acordo com o 1º Batalhão da Polícia Militar, o autor do crime que efetuou o disparo desceu de um veículo Onix de cor cinza e se evadiu do local.

Estado de saúde

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) informou ao GP1 que o estado de saúde do estudante Gabriel Brenno permanece sem alterações. Ele foi encaminhado a unidade em estado gravíssimo e passou por uma cirurgia.

Morte Encefálica

Na última sexta-feira (19) o HUT abriu Protocolo de Morte Encefálica de Brenno Nogueira, mas após a realização de três exames – dois clínicos e um de imagem – foi constatada atividade elétrica cerebral. O estudante continua recebendo toda a assistência necessária conforme estado de saúde apresentado.

Imagens de câmera de segurança

Nas imagens da câmera de segurança da rua, é possível ver o carro estacionado, na Rua Quintino Bocaiuva, no canto direito superior do vídeo, embaixo de uma árvore, logo atrás de outros dois veículos. Aos 14 segundos o homem surge correndo, entra no carro e sai rapidamente. A última imagem do vídeo é do veículo com o autor do disparo, que utilizava uma camisa de cor clara.

Ainda é possível observar que segundos antes do homem entrar no carro, uma mulher sai de uma residência com uma sacola na mão e vai até o meio da rua, como se tivesse ouvido alguma coisa, possivelmente, o estampido do disparo da arma de fogo.

Investigações

As investigações já conseguiram levantar que o acusado de cometer o crime foi até a pensão, onde a vítima morava, no dia 1º de julho, tentou reservar um quarto dizendo que era técnico em radiologia e que, no dia 2 julho, ele voltou novamente, mas não conseguiu alugar o quarto.

Envolvimento com mulher casada

O GP1 teve acesso às mensagens trocadas por meio do WhatsApp entre o estudante Gabriel Brenno e uma mulher casada, de nome não revelado, que ele conheceu há cerca de cinco meses. As investigações apontam que o caso se trata de um crime passional.

Mensagens trocadas entre Gabriel Brenno e mulher casada
Foto: Divulgação Polícia Civil-PI

A mulher, que seria o pivô do crime, já foi ouvida por policiais e confessou que teve um relacionamento com Gabriel. Segundo ela, os dois se conheceram no mês de fevereiro em uma academia localizada na Praça do Fripisa, centro de Teresina, que ela frequentava depois que deixava o trabalho, por volta do meio-dia. 

* Com informações do Gp1

Dê sua opinião: