Sábado, 21 de setembro de 2019   -     19:16 |
5000onon

Corpo de Gabriel Brenno é velado em Caxias, no MA

O corpo de Gabriel Brenno Nogueira, de 21 anos, é velado na noite desta terça-feira (23) na casa onde morava em Caxias, a 360 km de São Luís. O enterro está marcado para a manhã desta quarta (24), no Cemitério Nossa Senhora de Nazaré, no bairro Fazendinha, também em Caxias.

O jovem estudante, que tinha muitos amigos, foi baleado na cabeça no dia 17 de julho ao sair da pensão onde morava desde fevereiro na Rua Paissandu, no Centro de Teresina-PI.

 Foto: David Peres/TV Mirante

Após ficar internado por seis dias, Gabriel morreu por volta das 5h45 desta terça (23) no Hospital de Urgência de Teresina. O suspeito do crime já foi identificado, mas não foi localizado. Ele teria atirado no jovem por vingança, após saber de um relacionamento entre Gabriel e sua esposa. Segundo a família de Gabriel, ele não sabia que a mulher era casada.

Gabriel é natural de Caxias e estava em Teresina para fazer um cursinho preparatório e ingressar na Escola de Sargento das Armas. Ele também frequentava uma academia de musculação onde começou a se relacionar com uma mulher que seria casada com o atirador.  

 Foto: Arquivo Pessoal

Segundo a polícia, a mulher já foi ouvida e informou em depoimento que o companheiro havia saído cedo de casa no dia do crime e, logo após o horário em que Gabriel foi baleado, não voltou mais para casa.

Suspeito tentou se hospedar onde a vítima morava 

Segundo a polícia, o suspeito do crime tentou se hospedar na mesma pensão de Gabriel e disse ser da cidade de picos, interior do Piauí, e que fazia manutenção de máquinas de radiologia. O proprietário da pensão disse que só hospedava estudantes e o suspeito não foi hospedado.

"Quando ele planejou matar, ele começou a colher informações sobre a rotina, rondar a pensão onde a vítima se hospedava e várias pessoas viram-no ali perto, por vários dias", afirmou o delegado Sérgio Alencar, titular do 1º Distrito Policial. 

* Com informações do G1 MA

Dê sua opinião: