Sábado, 25 de janeiro de 2020   -     08:07 |
5000onon

Bebê é internado com sinais de espancamento e pai é suspeito da agressão

 Foto: Ascom/Sesapi

Um bebê do sexo masculino de 3 meses foi internado, nessa quinta-feira (21), no Hospital Regional Tibério Nunes, no município de Floriano, distante 244 km ao Sul de Teresina. De acordo com o Conselho Tutelar, existe a suspeita de que a criança tenha sido espancada e que o responsável pela agressão seja o próprio pai.

O bebê e a família residem em Rio Grande do Piauí, onde a agressão teria ocorrido. O caso será investigado pela Delegacia de Polícia Civil em Itaueira.

"Foi realizado exame de corpo de delito, onde as lesões foram confirmadas. Vamos ter mais informações com o desenrolar da investigação", informou o delegado Cayo Batista ao G1.

A Gerência de Policiamento do Interior da Polícia Civil também acompanha o caso. "A mãe esteve com as autoridades, mas ainda não prestou depoimento. O pai, que é o principal suspeito dessas agressões, está foragido", disse o delegado Marcelo Leal.

De acordo com o diretor técnico do Hospital Regional Tibério Nunes, Justino Moreira, a criança deu entrada na unidade chorosa, com falta de ar e bastante irritada.

“A avaliação com imagens mostrou uma fratura no ombro direito, uma fissura no crânio e vários locais de fraturas antigas que já estavam sendo consolidadas, na clavícula, no antebraço esquerdo, na perna também”, disse.

Sinais de maus tratos

O diretor informou que foram constatados sinais de maus tratos. “Fizemos o diagnóstico de politraumatizada. Ela foi hidratada e anestesiada. Ela teve uma melhora, está calma”, afirmou Justino Moreira.

Segundo o hospital, o estado de saúde da criança no momento é estável e ela será transferida para uma enfermaria, onde será acompanhada pela avó materna.

"A única dificuldade que ela tem no momento é de se alimentar, então vamos alimentá-la com uma sonda", relatou Justino Moreira.

“O tratamento das fraturas é conservador. Foi colocado gesso no braço direito e os cirurgiões liberaram, não vai precisar de cirurgia”, esclareceu o diretor. Ainda não há previsão de alta.

* Com informações do G1 PI

Dê sua opinião: