Quinta, 14 de novembro de 2019   -     17:04 |
5000onon

Coluna Coluna Feitosa Costa

Relatório de Flávio Nogueira beneficia colega que chamou Moro de ladrão

Pelo entendimento do deputado federal Flávio Nogueira (PDT-PI), não é crime passível de punição faltar com respeito à uma autoridade no Brasil. 

À frente da relatoria do Conselho de Ética da Câmara, o piauiense propôs ontem (16) o arquivamento do processo de quebra de decoro parlamentar que tramita contra o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), que chamou o ministro Sergio Moro de ladrão durante audiência naquela casa.

Glauber poderia ter o mandato cassado ou até sofrer sansões cabíveis por ter xingado e constrangido o ministro da justiça e segurança pública. Mas, com uma canetada, Flávio Nogueira preferiu beneficiar o colega antes de o processo ser votado no Conselho de Ética.

"[As declarações] sequer configuram falta de decoro parlamentar. Não há que se falar em sua existência", afirmou o relator. 

O que seria, portanto, quebra de decoro, deputado Flávio?

EXCLUSIVAS

Obra prima

O governador Hugo Napoleão esteve na Assembléia Legislativa do Piauí para acertar os detalhes da solenidade de lançamento de seu Livro intitulado "Eu fui Advogado de JK".

Encantador

Na obra, Hugo Napoleão, que também foi senador da república e ministro da educação, narra sua relação com o então presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976), conhecido como JK, um médico e político mineiro.

Histórico


JK foi presidente do Brasil de 1956 a 1960, cuja época é lembrada como um tempo de otimismo.

Alerta máximo

Às vésperas do julgamento sobre prisão em 2ª instância no STF, que pode decretar a soltura de quase 170 mil criminosos, o general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército, falou que o Brasil “ poderá sofrer uma convulsão social”.

Cenário sombrio 

“Experimentamos um novo período em que as instituições vêm fazendo grande esforço para combater a corrupção e a impunidade, o que nos trouxe — gente brasileira — de volta a autoestima e a confiança. É preciso manter a energia que nos move em direção à paz social, sob pena de que o povo brasileiro venha a cair outra vez no desalento e na eventual convulsão social.”

Farra dos corruptos

Um grupo de ministros do Superior Tribunal Federal vem claramente costurando uma maneira de beneficiar os chefes de facções criminosas e saqueadores dos cofres públicos. 

Preto e pobre na cadeia

Os defensores dos corruptos querem encontrar uma forma de manter os menos favorecidos na sarjeta do sistema judicial, empurrados como animais selvagens para o vale da morte, enquanto protege os maiores ladrões da história do país. 

Risco para o povo

“Democracia se faz com instituições fortes e valorizadas. O STF não pode viver nesse limite perigoso, sem a consideração do povo brasileiro. Isso é um grande risco para o país em todos os aspectos. Neste momento, compete ao STF a sua própria valorização”, disse o competente general Santos Silva. 

A ditadura do Supremo 

“Hoje, ao que tudo indica, o Supremo Tribunal Federal vai jogar mais uma pá de terra na cova do processo de depuração. Primeiro, foi a suspensão das investigações baseadas nas informações do COAF, depois, a estranha decisão referente ao prazo para as alegações finais”, palavras da deputada Janaína Paschoal.

É melhor soltar?

Dados do Ministério da Justiça e Segurança Publica publicados ontem (14) revelam que o número de homicídios no país caiu 22,1% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado.

O STF quer soltar os criminosos que praticam essas atrocidades. 

Fique sabendo

Um total de 643 municípios, das 5 regiões do Brasil, sinalizou ao Ministério da Educação (MEC) o desejo de participar do Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares.

A região Nordeste lidera: 290 prefeituras declararam querer instituições de ensino no modelo cívico-militar. A Sudeste vem em segundo (215), seguida por Sul (54), Norte e Centro-Oeste (38). 

Aos poucos o país vai semeando uma mudança para melhor.

Dê sua opinião: