Sexta, 18 de setembro de 2020   -     23:37 |

Coluna Coluna Feitosa Costa

Engenheiro Jivago Castro considera tendenciosa pesquisa do Amostragem sobre Bolsonaro

O engenheiro e empresário da área de construção civil de Teresina, capital do Piauí, Jivago Castro considera tendenciosa uma pesquisa do Instituto Amostragem de propriedade do Sr. João Batista Teles, que está na rua, indagando sobre a conduta do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Num momento inoportuno, de extrema aflição por causa do novo coronavírus, o questionário tenta induzir a população a falar se aprova ou não à administração e o comportamento do presidente.

Contrariado com às perguntas que funcionam como verdadeiras armadilhas para o leitor, o empreendedor piauiense diz que Bolsonaro é quem está fazendo as coisas pelo país, que se não fosse o presidente as construtoras já teriam falido.

ASSISTA:


“...O presidente é quem tem dado dinheiro para os desempregados, autônomos, é quem tem possibilitado às empresas como a minha repassar aos funcionários para não desempregá-los, é quem tem criado crédito com carência para o consumidor…”, comenta. 

Dono de uma de uma das maiores construtoras do Piauí, Jivago revela que sua própria empresa não quebrou no período do isolamento imposto por decretos estaduais e municipais porque Bolsonaro deu ajuda emergencial aos empregados e permitiu que as firmas mantivessem seus funcionários, assumindo 70% dos custos, sem precisar demiti-los.

Por outro lado, o Instituto Amostragem pertence ao empresário João Batista Teles (foto abaixo), um velho conhecido dos bastidores do poder, acostumado a trabalhar com políticos.




Dê sua opinião: