Sexta, 21 de fevereiro de 2020   -     11:23 |
5000onon

Coluna Coluna Feitosa Costa

Advogado do crime organizado ataca ministros de Bolsonaro

Ex-marido de uma prima da deputada piauiense Iracema Portella (Progressista), o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, vulgo Kakay, mandou uma grosseria para grupo intitulado "Liga da Justiça", ofendendo a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Conhecido defensor do crime organizado, de muitos réus, acusados, denunciados e suspeitos de corrupção, Kakay escreveu sobre a política de abstinência sexual defendida pela ministra para prevenção da gravidez na adolescência.

“Foi uma pena os pais desta idiota não terem feito o que ela prega. Se não tivessem trepado, estaríamos livres dela”, escreveu Kakay. Trechos da terrível conversa chegaram a Damares, que acionou a AGU para processar o agressor. 

Por sinal, Kakay não esconde a raiva que sente dos membros do governo de Bolsonaro. Sempre fazendo uso de termos chulos, ataca ministros e secretários por meio de parte da mídia ainda contaminada pelo viés ecológico de esquerda. 

Um de seus principais alvos têm sido Sergio Moro. Sem o devido comportamento que a magistratura requer, Kakay tenta, sem sucesso, desqualificar o ministro de maior credibilidade no país. 

EXCLUSIVAS

Abreu e Novo

Dois Fábios juntos numa chapa é o sonho do governador Wellington Dias para as eleições de Teresina.

Desde que o Abreu seja o cabeça e o Novo fique como vice. 

Pessoas e Pessoa

Dr. Pessoa é oficialmente pré-candidato a prefeito de Teresina.

O médico, que já exerceu cargos de vereador da capital e deputado estadual do Piauí, diz que nasceu para cuidar das pessoas. 

4x0

Chama atenção o fato de os alunos aceitarem, sem alarde, sem manifestação alguma, o aumento da passagem de ônibus urbano em Teresina. 

Combustível

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que pretende enviar ao Congresso uma proposta de Lei Complementar para forçar os governadores a baixarem os impostos sobre combustível nos Estados.

“Como regra, os governadores não admitem perder receita, mesmo que o preço do litro nas refinarias caia para R$ 0,50 o litro. O que o presidente da República pode fazer, para diminuir então o preço do diesel/gasolina para o consumidor?”, escreveu nas redes sociais. 

Para cego ver

Bolsonaro afirma que é preciso “Mudar a legislação por Lei Complementar, de modo que o ICMS seja um valor fixo por litro, e não mais pela média dos postos (além de outras medidas)”.

Ele tá certo

Os governadores cobram, em média, 30% de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o valor médio cobrado nas bombas dos postos e atualizam apenas de 15 em 15 dias, prejudicando o consumidor.

Na terra do índio

No Piauí, atualmente, são cobradas alíquotas que estão entre as mais altas do país.

Dados oficiais indicam cerca de 18% sobre o diesel; 22% sobre o álcool; 29% sobre a gasolina, mais 2% para o Fundo de Combate à Pobreza, totalizando 31%.

De olho nas eleições municipais

Deputados do Piauí retornaram hoje (03) às atividades na Assembleia Legislativa.

Um buraco no caminho

É importante que o governador Wellington Dias lance um amplo trabalho de recuperação das estradas do Piauí.

Está ficando difícil para seus pré-candidatos a prefeitos se defenderem no interior. 

O grande golpe

Quando será que o prefeito do "Mercosul" vai se dar conta que ninguém caiu na conversa fiada de que ele iria atrair 12 mil empregos para aquela pequena e sucateada cidade do norte do Estado?

Esse caso pode se tornar o maior escândalo de estelionato eleitoral do Brasil. 

Dê sua opinião: